• Conhea nosso canal no Youtube
  • Inscreva-se no noss Feed RSS de Notícias

Pesquisa revela as descobertas de 2013 sobre o sexo

31 jan 2014     Sem Comentários    Publicado em: Artigo, Curiosidades, Notícias, Pesquisas
morcego, boca e dente

Pesquisa revela as descobertas de 2013 sobre o sexo

No último mês de 2013, uma pesquisa organizada pela revista britânica livescience reuniu em artigo e ordenou as 10 descobertas mais interessantes aprendidas sobre o sexo em 2013. Curioso não?!

Confira abaixo seis das dez indagações feitas:

men e woman do the dishes1. Mais trabalho doméstico, menos sexo?

Relações igualitárias podem resultar em menos sexo, revelam os pesquisadores, apesar de mostrar os parceiros que se dividiam com os afazeres de forma justa são mais felizes. A pesquisa foi correlacional, por isso as tarefas podem não ser um desvio direto entre a ação e o resultado, de acordo com pesquisa publicada em fevereiro na revista American Sociological Review. Mas foi observado que o igualitarismo em tarefas domésticas pode diminuir a frequência do sexo entre os casais. Os pesquisadores do estudo descobriram que os homens que fizeram as tarefas “femininas” como cozinhar e lavar roupa tinha menos sexo do que aqueles que não o fizeram. (E eles pensavam que ganhariam mais em troca..).
Não tem que ser assim, a divisão justa de tarefas pode ser melhor gerenciada pelo casal e o sexo não precisa ir pro saco, literalmente..

2. Depois do bebê, mulheres esperam mais…e os papais também!

Após o parto, as mães não são a única na família que passam por mudanças sexuais. Os papais também sofrem altos e baixos! A fadiga e o estresse causado por toda a mudança drástica no cotidiano dos novos papais foram os principais fatores que alteraram pra menos o desejo sexual. Fatores como amamentação ou sangramento vaginal eram de menor  influência, disseram pesquisadores em agosto de 2013 no Journal of Sexual Medicine.

 

morcego, boca e dente3. Morcegos também fazem sexo oral

Os seres humanos não são as únicas espécies com características..digamos criativas, durante o sexo. Uma espécie de morcego chamado “raposas voadoras indianas” (Pteropus giganteus) faz, também. Os pesquisadores relataram em março de 2013 no jornal Plos One que o macho dessa espécie faz sexo oral na fêmea antes da penetração. O sexo oral como cortejo ou para prolongar o encontro sexual, segundo os pesquisadores, talvez aumentando as chances de concepção pois os morcegos machos podem remover o esperma dos competidores anteriores.
Espertos, não?!

 

4. Métodos de controle masculinos bloqueiam o esperma

A pesquisa para o controle de nascimentos masculinos eficazes e seguros para além de preservativos continuou em 2013, num estudo promissor com roedores, sugerindo que pode haver esperança para a contracepção masculina. O método usa uma combinação de fármacos que permitem que o esperma seja produzido como de costume, mas o impedem de viajar através do canal deferente e para fora da uretra durante a ejaculação.

O caminho dos estudos com roedores para testes de medicamentos humanos ainda é longo, mas os pesquisadores estão esperançosos, revelou em dezembro a revista Proceedings, da Academia Nacional de Ciências – embora ainda haja incongruências, pois até os pesquisadores concluem  que “A falta de ejaculação tem o potencial de ser desconcertante”.

Oh, se tem!

5. A cultura atual do “pega mas não se apega” não está assim tão desenfreada

A mídia popular muitas vezes retrata os jovens modernos como “fulgazes”, pois pulam de cama em cama e tem uma série de relações sexuais casuais. Mas essa impressão de que vivemos uma cultura do desapego é exagerada, de acordo com a pesquisa apresentada em agosto de 2013, na reunião anual da American Sociological Association.

Os pesquisadores compararam as respostas de pesquisas representativas nacionais com homens e mulheres entre 18 e 25 anos, em 2002-2010 e 1988-1996 e descobriram que, em ambos os grupos, cerca de 31 por cento disseram que tiveram um parceiro sexual no ano anterior à pesquisa e apenas metade relatou ter mais de dois parceiros sexuais após 18 anos. Em outras palavras, não é a cultura do desapego a responsável por jovens mais promíscuos.

“Hmm..não foi por isso que meu namorado me largou?!”(hehe..não, não culpem o Thiago Brava!)

6. Sexo como exercício?

Esses jovens que não se apegam tanto assim, talvez se apeguem mais a uma queima calórica então, fazendo sexo! É, de acordo com pesquisa publicada em outubro de 2013 na revista Plos One. O estudo utilizou monitores de fitness para acompanhar casais que faziam sexo no decorrer de suas vidas cotidianas, constatou-se que o sexo queima uma média de 4,2 calorias por minuto para os homens e 3,1 calorias por minuto para as mulheres.

Isso é melhor do que um passeio, mas não tão bom quanto uma corrida. Enquanto o sexo não pode ser o exercício mais eficiente para a perda de peso, os autores notaram que em intensidade moderada, poderia sim contar como parte de um treino diário.

Hmm..que tal um exercício assim que terminar de ver as novidades no site?!! :D

Alguma coisa pra falar? Vá em frente e deixe um comentário!

Obs: também odiamos SPAM, seu e-mail não será repassado para ninguém.

* Necessário